Gravidez não é sinônimo de estriasOutubro 2017

     Para muitas mulheres, as estrias são consideradas problemas inevitáveis durante a gravidez. E não é à toa que elas pensam isso: estima-se que quase metade das mulheres desenvolve estas temidas marcas durante a gravidez.

 

     As estrias são cicatrizes cutâneas que podem aparecer durante a gestação e se formam graças a uma associação de fatores, como aumento de peso, modificações hormonais e até mesmo genética. Além disso, pesquisadores da Mustela® descobriram também a participação da fibronectina no desenvolvimento das estrias.

 

Como elas surgem?

     Na gestação, há um estiramento rápido da pele, quebrando as fibras de colágeno, elastina e fibronectina presentes nas camadas mais profundas e que desempenham um papel fundamental na sustentação e elasticidade. Quando são submetidas ao alongamento contínuo, devido às razões mencionadas como aumento dos hormônios e volume corporal, estas fibras não aguentam este repuxamento excessivo e se rompem, gerando as estrias. 

 

     Áreas como o abdômen, quadris, coxas e seios estão entre as mais propensas para o surgimento destas marcas.  No início, elas surgem arroxeadas, um pouco escuras. Após alguns meses, elas acabam ficando mais claras, esbranquiçadas e mais difíceis de serem tratadas.

 

Cuidados com a pele

     A melhor forma de evitar as estrias é a prevenção. Depois de instaladas, elas são muito difíceis de serem eliminadas em sua totalidade. A dermatologista Dra. Juliana Nakano afirma que os cuidados devem começar assim que a mulher descobre que está grávida.

 

     A médica ressalta que a hidratação da pele, alimentação balanceada, atividade física e ingestão de bastante líquido são fundamentais para manter a saúde da pele durante toda a gestação. E as precauções devem ser intensificadas no final da gravidez, já que no último trimestre a pele terá maior estiramento associado ao aumento excessivo de peso.  

 

Como prevenir as estrias

     Para prevenir, é importante fazer uso constante de cremes, óleos ou loções para hidratar e proteger a pele contra o aparecimento das estrias. Na hora de escolher, dê preferência àqueles com formulações baseadas em ingredientes naturais, hipoalergênicos e específicos para gestantes.

 

     Deixe de lado os produtos elaborados com ingredientes questionáveis e não recomendados durante a gravidez como parabenos, fenoxietanol, derivados halogenados, bisfenóis, álcool, cafeína, etc.

 

     E se com todos os cuidados ainda surgirem as estrias, as futuras mamães ainda podem contar com produtos específicos, como cremes que estimulam a produção de novas fibras elásticas e deixam as marcas menos visíveis. No caso de dúvida, especialmente no período pós-parto, fale com seu dermatologista, que poderá orientar sobre os melhores tratamentos compatíveis com a amamentação. 

Comente este artigo

Partilhar a minha lista de cuidados