#Gravidez

Gravidez: uma boa digestão dependerá do que está no seu prato

#Gravidez
Gravidez: uma boa digestão dependerá do que está no seu prato
advice transit slider
Uma em cada duas gestações é afetada por uma digestão lenta. Isso pode ser facilmente corrigido se você mudar sua dieta. Tanto para mais conforto como para prevenir a ocorrência de hemorroidas.

Prisão de ventre: por que agora?

Embora a inundação de progesterona reduza a tonicidade intestinal a partir do início da gravidez, é geralmente durante o 3º trimestre que a digestão desacelera. Isso não é nada sério em si e é facilmente explicado. A causa pode ser a compressão do cólon pelo útero, assim como determinados suplementos, principalmente o ferro. Mas, acima de tudo, você se move menos, fica um pouco mais estressada e é mais facilmente tentada por alimentos que nem sempre são os mais adequados.

A primeira coisa a fazer, portanto, é considerar sua dieta, mastigar bem, se possível, fazer uma caminhada de meia hora todos os dias e não se apressar no banheiro. O médico só prescreverá tratamento se essas medidas não tiverem efeitos em alguns dias (ou se houver dor ou sangramento). Agora não é hora de começar a automedicação com laxantes.

Quais alimentos você deve consumir mais?

Água: agora que a náusea ficou para trás, um copo grande de água em temperatura ambiente ao se levantar estimulará imediatamente o trânsito intestinal. E uma boa hidratação regular ao longo do dia (entre as refeições) reidratará as fezes, tornando-as mais fáceis de evacuar. Um pouco de água com alto teor de magnésio pode ser útil mediante orientação médica.

Fibras solúveis: encontradas em frutas e legumes, não são todas adequadas para consumo. Quando se trata de legumes, opte por vagem, cenoura cozida, chicória e, no caso de frutas, frutas cozidas (ameixas secas), bastante maduras (peras, mamão) e sempre descascadas. Ou opte por compotas.

Produtos lácteos: desnatados com um alto teor probiótico, principalmente iogurtes, queijo branco ou queijos suíços macios. Mas também queijos firmes como o gruyère.

Alimentos integrais ou semi-integrais: pão integral, macarrão integral ou arroz integral ajudam na digestão. Mas eles podem ser prejudiciais para alguns intestinos ou podem não ser saborosos para algumas mulheres. Versões semi-integrais são uma boa solução.

Quais alimentos podem causar irritação: O grau de sensibilidade intestinal difere de uma pessoa para outra. Além disso, apesar de alguns alimentos tenderem a desacelerar o trânsito intestinal, a consciência disso dependerá também da pessoa. Se eles não te afetarem, não há necessidade de evitá-los. No entanto, é melhor escolher a moderação ou outras alternativas temporariamente.

Certas fibras: quando são muito duras, podem irritar intestinos delicados e estimular a fermentação. Quando se trata de sementes secas: (lentilhas, grão de bico e feijão). Para não perder seus benefícios, opte por lentilhas e prepare-as após higienizá-las. Se ela for enlatada, não se esqueça de lavá-la e cozinhá-la bem.

Legumes: Aqueles descritos como tendo “um sabor forte” (todas as variedades de repolho, aipo, alho-poró e alcachofra) tendem a fermentar. Pode ser melhor comê-los com moderação ou substituí-los por outros legumes que beneficiam o trânsito intestinal (espinafre, abobrinha, vagem etc.) pelo bom teor de vitaminas. Em caso de sensibilidade, seria bom também evitar legumes e vegetais crus e descascar e remover as sementes de tomates e pepinos.

Frutas: é melhor deixar as seguintes frutas de lado por enquanto: bananas e cerejas ou ameixas muito verdes, que são muito ricas em sorbitol, um açúcar natural que nem sempre é facilmente digerido. Se maçãs cruas forem um problema, comê-las cozidas é uma boa opção. Não hesite em comer laranjas, abacaxis ou uvas: A variedade de frutas é ampla o suficiente para que você possa se beneficiar diariamente de seu alto teor de vitaminas e antioxidantes.

Gorduras e especiarias: É melhor restringir o consumo de gorduras saturadas (carnes gordas, frios, pratos excessivamente ricos) e optar por gorduras insaturadas (salmão, azeite e óleo de coco), que são benéficas para o sistema cardiovascular e o trânsito intestinal. Os intestinos sensíveis também devem limitar condimentos e temperos agressivos (pepinos em conserva, pimentas, mostarda forte), que podem retardar a digestão.