#Amamentação

Amamentação: saiba os mitos e verdades

#Amamentação
Amamentação: saiba os mitos e verdades
Mustela-Blog-Amamentação_1048x964px
A amamentação é cheia de coisas que “as pessoas dizem”. Você está um pouco perdida com todas as experiências, muitas vezes contraditórias, que as pessoas compartilharam com você? É hora de aprender o que é verdade e o que é mito!

Todo mundo sabe que a amamentação modifica a forma dos seus seios - MITO

Se a amamentação estiver indo bem, o inchaço for evitado e o desmame for gradual, os seios terão muito mais chances de manter a forma do que se você cortar o leite repentinamente após o parto! Para manter seu busto bonito, o mais importante é evitar ganhar muito peso durante a gravidez e cuidar de seus seios diariamente com um produto firmador para a gravidez, estimulando os tecidos de sustentação para evitar o afrouxamento da pele devido às súbitas variações de tamanho. Durante a amamentação, continue a aplicar tratamentos de cuidado com a pele em seu busto e use um bom sutiã de amamentação que ofereça suporte sem compressão.

Se você tem seios pequenos, você não produzirá leite suficiente - MITO

Embora as amas de leite, uma vez contratadas por mulheres nobres para amamentar seus bebês, fossem conhecidas por seus seios generosos, a glândula mamária é mais ou menos do mesmo tamanho em todas as mulheres. Portanto, o tamanho dos seios não tem nada a ver com a quantidade de leite produzido. A lactação também depende principalmente do apetite do seu bebê: quanto mais ele mamar, mais leite você produzirá, mesmo com seios pequenos!


O leite materno muitas vezes não é nutritivo o suficiente - MITO

O leite da mãe nunca é ruim, muito fino ou pouco nutritivo. Se o seu bebê não está ganhando peso suficiente, isso pode ser causado por ele se agarrar ao peito incorretamente. Como todas as novas mães, você também pode ter um declínio temporário na produção de leite por fatores como fadiga ou emoções fortes. Não entre em pânico: apenas amamente seu bebê com a maior frequência e o maior tempo possível e descanse o máximo que puder. Seu leite retornará rapidamente ao normal.

A amamentação evita que você perca o peso da gravidez - MITO

Pelo contrário, a produção de leite queima grande parte das calorias diárias que você consome. Se você comer de forma saudável e sem exageros, a amamentação a ajudará a perder mais rapidamente o peso que você ganhou durante a gravidez.

A amamentação é sempre exaustiva para a mãe - MITO

Não há nada cansativo sobre a amamentação em si. Desde que você e seu bebê estejam confortáveis, o processo não requer nenhuma aptidão física específica. Se você se sentir cansada, você pode culpar a maior parte da queda de energia na agitação do seu corpo e a emoção do nascimento de seu filho. Ou talvez você esteja tentando fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Não é hora de virar a Mulher Maravilha! Em casa, peça ajuda ao pai e à sua família e amigos. Então, sente-se e aproveite os hormônios calmantes que surgem na amamentação!

Você pode dormir com seu bebê para amamentar mais facilmente - VERDADE

A amamentação é benéfica quando o bebê e a mãe estão próximos um do outro e as refeições são muito mais fáceis quando o bebê está deitado ao seu lado. No entanto, é importante seguir algumas dicas de segurança quando seu bebê dorme em sua cama, incluindo: não coloque edredom no bebê, travesseiro sob sua cabeça, use um colchão firme e sem risco de cair etc. Outras opções incluem colocar o berço do seu bebê ao lado da cama ou usar um berço especial para a cama que fica anexo à cama dos pais.

Amamentações noturnas são mais fáceis em geral - VERDADE

Não importa quantas mães a incentivem a fazer com que seu bebê “durma a noite toda” o mais cedo possível, tente resistir à pressão! Na verdade, a maioria dos recém-nascidos precisa mamar à noite nos primeiros meses. Além disso, a amamentação noturna ajuda a iniciar e manter um amplo suprimento de leite, evitando um período muito longo entre as sessões.

Mamilos chatos ou deformados impossibilitam a amamentação - MITO

Os bebês sempre conseguem mamar independentemente do tipo de seio da mãe. Apenas certifique-se de colocar o bebê na posição correta, de frente para o peito. Se o bebê realmente tiver problemas para se agarrar ao seio (porque, por exemplo, ele está muito inchado de leite), massageie suavemente o mamilo para amaciá-lo e esprema um pouco de leite antes de dá-lo ao seu bebê.

Amamentar por menos de 6 meses é inútil - MITO

Embora as autoridades de saúde e muitos pediatras recomendem que as mães amamentem seus bebês por até 6 meses, tudo depende do seu desejo e disponibilidade. Dar a mama ao bebê, mesmo que por pouco tempo, beneficiará sua saúde e a do bebê. Quando você voltar a trabalhar, você poderá continuar a amamentar de manhã, à noite e nos fins de semana. Mas isso depende do seu bebê também! Alguns podem deixar claro logo que querem ser independentes, enquanto outros continuam pedindo o peito da mãe por muito mais tempo. O papel do pai também deve ser considerado, já que quanto mais a amamentação se estende, mais ele se sente excluído.

A amamentação pode ser dolorosa - VERDADE

Mas na maioria dos casos, a dor é causada por seu bebê não estar em uma posição boa durante a amamentação. Na primeira semana, seus mamilos podem ficar sensíveis; isso é normal e temporário. Se a dor persistir, consulte seu pediatra ou enfermeira obstetra.

A amamentação não elimina a necessidade de contracepção - VERDADE

Enquanto você estiver só amamentando, você não ficará menstruada e não há razão para se preocupar. Isso teoricamente... Mas ela pode voltar enquanto você ainda estiver amamentando e a ovulação pode ocorrer antes da primeira menstruação. Então, a menos que você já queira engravidar de novo, use contraceptivos. Consulte seu médico ou enfermeira obstetra.

Você não pode amamentar se estiver tomando medicamentos - MITO

Muitos medicamentos são compatíveis com a amamentação. O trabalho do seu médico é prescrever os certos. Mas também se certifique de não estar fazendo automedicação! Sempre consulte seu médico, enfermeira obstetra ou farmacêutico antes de tomar qualquer tratamento que possa causar problemas dependendo da idade do seu bebê.