Guia definitivo: como prevenir e tratar as assaduras do bebêJunho 2018

A pele do bebê é muito delicada e imatura nos primeiros anos de vida: por ser mais sensível, fica mais propensa a agressões de agentes externos e também mais permeável à absorção de substâncias capazes de promover irritações e desidratação. 

 

Por causa dessa fragilidade, a pele fica predisposta a ter problemas como as assaduras, por exemplo. Por mais que essas inflamações deixem as mães e pais preocupados, as assaduras são mais comuns do que se imagina: cerca de 60% dos bebês são afetados nos primeiros 12 meses de vida.

 

O que causa assadura?

 

A pediatra Dra. Vania Oliveira de Carvalho afirmou no Guia de Conselhos da Mustela que a oclusão da pele na região das fraldas ocasiona aumento da temperatura e umidade local. Como resultado, a pele fica mais suscetível à irritação pelo contato e maceração da fralda, das fezes e da urina. Inclusive, pela limpeza frequente da região.

 

Outros fatores também podem influenciar no aparecimento das assaduras, como o nascimento dos dentinhos, diarreias ou episódios infecciosos. Esse incômodo, muitas vezes, pode deixar o bebê irritado e até prejudicar o sono e a alimentação, porque assaduras doem, coçam e ardem. Em alguns casos, evoluem para descamações e erupções e, em situações mais graves, podem causar bolhas e sangramento. A boa notícia é que alguns cuidados simples podem ajudar a evitá-las.

 

Como prevenir as assaduras

 

  • A melhor forma de prevenir as assaduras é trocando a fralda com frequência – o ideal é que ela seja substituída de 7 a 8 vezes por dia para manter a pele seca;

 

  • A cada troca, atenção à higiene: limpe bem a área com algodão e uma água de limpeza sem enxágue especialmente formulada para a pele do bebê. Se preferir toalhas umedecidas, escolha aquelas elaboradas especialmente para os pequenos, de alta tolerância cutânea e que podem ser usadas desde o nascimento. A higiene do bebê deve ser feita de cima pra baixo, da área mais limpa para a mais suja, para que as impurezas não sejam transportadas para outras áreas. Depois, certifique-se de que as dobrinhas estão bem secas;

 

  • Outro ponto importante é a fralda. Além do tamanho (as pequenas podem friccionar a pele, causando irritação), vale verificar se o bebê tem alergia a alguma marca específica. Caso perceba alguma reação na pele com o uso de determinada fralda, substitua por outra. Em tempo: sempre que for possível, deixe o bebê sem nada por alguns minutos para que a pele “respire”;

 

  • A alimentação também pode favorecer o aparecimento das assaduras. Por isso, se o bebê mama no peito, a mãe deve evitar alimentos ácidos e frutas cítricas, como abacaxi, morango e laranja, por exemplo. Para o caso dos pequenos que já ingerem sólidos, o conselho também é válido;

 

  • Não espere as assaduras aparecerem para tomar providências. Como prevenção, utilize cremes protetores específico, que protegem a pele do bebê e preservam sua barreira protetora, evitando as assaduras e irritações cutâneas.  

 

Como tratar as assaduras

 

  • Na contramão das crenças populares, a utilização de produtos como amido de milho e talco não é indicada. Esses produtos podem provocar ressecamento da pele. É importante que a pele do bebê esteja limpa e hidratada, não seca;

 

  • Use produtos adequados para o tratamento de assaduras, que tenham boa resistência de uma troca de fralda para a outra e, de preferência, que sejam feitos a partir de óxido de zinco (para evitar o reaparecimento das assaduras), ingredientes naturais, livres de substâncias questionáveis, por exemplo. Produtos adequados acalmam e reparam a pele;

 

  • Aumente a frequência da troca de fraldas – qualquer sujeira pode irritar ainda mais a pele. Procure trocar logo depois do cocô e assim que perceber que o bebê está molhado de xixi. Aqui, também vale a dica de deixá-lo sem fralda por alguns minutinhos: isso irá aliviar e ainda ajudar a manter a área seca;

 

  • Se mesmo com tanto capricho a pele do bebê ficou irritada, vermelha ou com brotoejas, é hora de visitar o pediatra. O profissional irá avaliar a necessidade de outros cuidados especiais.

 

Comente este artigo

Partilhar a minha lista de cuidados

LER TAMBÉM: