Tudo sobre a crosta láctea

Seu bebê está com você há algumas semanas e, a cada dia, sua personalidade e corpo se desenvolvem, principalmente a pele particularmente frágil dele. Hoje você descobriu pequenas crostas amarelas na cabeça do seu bebê. Elas se chamam crosta láctea. Contaremos tudo o que você precisa saber para dominar o assunto.

O que é exatamente a crosta láctea?

Antes de mais nada, a crosta láctea é uma das condições comuns da pele dos bebês, não precisa se preocupar! De fato, cerca de dois terços dos bebês(1) são afetados por essa condição. A crosta láctea pode aparecer muito cedo, nas primeiras semanas de vida, e durar de alguns dias a alguns meses, depois desaparecer completamente por volta dos dois anos de idade, embora possa durar mais tempo às vezes.

 

Qual é a relação entre a formação dessas crostas no couro cabeludo do seu bebê e o leite?

Absolutamente nenhuma! Portanto, não se preocupe em mudar a dieta do seu bebê, a menos que seu médico oriente. De fato, o nome em francês “croûtes de lait”, ou “crosta de leite” em português, vem da semelhança dessa condição da pele com as gotas de leite que transbordaram de uma panela e secaram no fogão. Como a crosta láctea se parece com o leite endurecido e seco, não é difícil de esquecê-la: pequenas crostas ou caspas ásperas de cor amarelada, um pouco oleosas ao toque. Eles adoram se acomodar no couro cabeludo do bebê.

A crosta láctea às vezes desce para as sobrancelhas e, mais raramente, para o corpo dos bebês, em particular as axilas ou o bumbum. Ao longo de vários dias, a crosta láctea seca e forma cascas (ou escamas) que caem naturalmente.

 

O bebê perde um pouco de cabelo com isso?

Sim, mas o cabelo vai crescer sem problemas.

Por fim, mas não menos importante: enquanto as crostas não são muito boas de se ver, elas são superficiais. Melhor ainda, a crosta láctea não é dolorida e só causará sensações de desconforto.

 

Por que surge a crosta láctea? Se não é causada pelo leite, é por causa de falta de higiene?

Não! A crosta láctea é parecida com a caspa em adultos. Assim sendo, tem mais a ver com uma reação natural da pele do que com falta de banho. Isso é mais uma prova de que a crosta láctea não é um problema sério para o seu filho. Mais especificamente, a crosta láctea vem do excesso de sebo nos bebês. Em outras palavras, as glândulas sebáceas, que produzem o manto lipídico na pele para protegê-la, são muito ativas. Daí o surgimento, em alguns lugares, de áreas oleosas que acumulam células mortas. Como ficam retidas, essas células formam pequenas crostas ou caspas, principalmente no couro cabeludo.

Então, por que as glândulas sebáceas são superativas? Por causa dos hormônios da gravidez! Você pensou que eles tinham sumido de vez? Podem ter sumido do seu corpo, mas não do seu bebê, que talvez ainda não tenha eliminado todos eles necessariamente. No entanto, a boa notícia é que isso significa que, quando desaparecem completamente, o mesmo acontece com a crosta láctea.

Entretanto, a dermatite seborréica promove o desenvolvimento de uma levedura que todos temos na pele: Malassezia Furfur. A proliferação dessa levedura também contribui para o surgimento da crosta láctea, provocando uma reação cutânea no bebê.

Em suma, os hormônios maternos presentes no corpo de seu bebê estimulam demais suas glândulas sebáceas, o que também estimula a presença de Malassezia Furfur. Condições ideais para estimular a pele e, principalmente, o couro cabeludo do bebê, que responde com a formação da crosta láctea.

 

Fontes: (1) C Moises-Alfaro et al, In J Dermatol 2002, 41, 349-351.

Você também vai gostar

Imagem
advice zones irr mini
PÓS-PARTO

Primeiros cuidados com o bebê

Como cuidar das áreas irritadas da pele do bebê

Imagem
advice gest hygiene mini
PÓS-PARTO

Primeiros cuidados com o bebê

Guia de higiene da pele do bebê

Imagem
advice peau douce mini
PÓS-PARTO

Primeiros cuidados com o bebê

Hidratação, bons hábitos para manter a pele do seu bebê macia e confortável