A linguagem inicial do bebê: do balbucio às primeiras palavras

Bebês aprendem a falar com idades diferentes. Acompanhe o desenvolvimento do seu filho no tempo dele, estimulando para que ele possa se desenvolver com harmonia.

Linguagem inicial

Ao nascer, seu bebê ainda não é capaz de falar, mas já pode se comunicar por meio de olhares, posturas, expressões faciais e pelo choro e ele usa tudo isso para expressar seus sentimentos e interagir com você. Nesta fase, não há limites para o potencial dele: ele é condicionado naturalmente a adquirir a linguagem humana... e é capaz de aprender qualquer língua do mundo e a pronunciar cada som humano. O que é mais incrível é o fato de que ele já pode distinguir diferentes línguas com base em suas melodias. Aos poucos, sua capacidade de aquisição da linguagem se tornará mais específica e ele se concentrará mais em aprender sua língua materna.

Desde seu primeiro olhar até a primeira frase que ele profere, a maneira como você interage com seu bebê é de vital importância para o desenvolvimento de suas faculdades da linguagem: você é a pessoa que dará sentido aos sons que ele produz e fará com que ele queira repetir esses sons apenas pelo prazer de ver você reagir e responder aos seus pedidos. Por isso, é muito importante que você converse com o bebê o máximo possível desde o início e fale com ele: com o ambiente adequado ele terá tudo o que precisa para se desenvolver de maneira rápida e harmoniosa. Bebês aprendem a falar com idades diferentes. Alguns já estarão dizendo várias palavras após 12 meses, enquanto outros ainda balbuciam de forma incompreensível aos 2 anos de idade.

Acompanhe o desenvolvimento do seu filho no tempo dele!

Estimule e encoraje seu filho, mas não pressione: quanto maiores suas expectativas, maior o risco de seu filho se isolar completamente.

Entre 0 e 1 mês: o nascimento da comunicação

Quando seu bebê vem ao mundo, seu primeiro meio de comunicação é o choro: ele chora para que você saiba que ele está com fome, que precisa trocar a fralda, que ele precisa do seu contato, que ele está sofrendo, cansado etc. Cabe a você aprender aos poucos a decifrar as mensagens! Entre 2 e 6 meses: uma enxurrada de balbucios

Por volta dos 2 meses, seu bebê começa a brincar com as capacidades de sua laringe. Soluçar, murmurar, fazer sons com a parte de trás da garganta... Ele balbucia bastante para a alegria de todos! Essa primeira fase de balbucio é comum a todos os bebês.

Aos 4 meses as vogais aparecem, começando com “a” e “e”. Um mês depois, o bebê é capaz de pronunciar suas primeiras consoantes: é a idade do famoso “gu gu da dá”. Nessa fase, o seu bebê já adotou sua língua materna: um bebê chinês ou egípcio não produz exatamente o mesmo balbucio que um bebê cuja língua materna seja a inglesa! Para estimulá-lo, fale com ele e repita seu próprio balbucio: seu entusiasmo irá encorajá-lo a perseverar.

Entre 6 e 9 meses: sílabas repetidas

Com 6 meses seu bebê repete as sílabas que terminam em “a”: “dadadada”, “papapapa”, “mamamama” etc. Esses sons não têm um significado específico para ele: você é quem dará significado a eles aos poucos, por meio de respostas. É maravilhoso para ele ver você chegar dizendo “Mamãe” e é aí que ele vai começar a balbuciar “mamamama”! Assim, ele descobre a dimensão simbólica da linguagem: um som corresponde a um objeto.

Entre 9 e 12 meses: as primeiras palavras!

Por volta dos 10 meses, seu bebê começa a pronunciar cadeias de sílabas sem repetição. Aos poucos ele irá compor sua fala, que muitas vezes é incompreensível como se estivesse falando uma língua estrangeira!

Progressivamente, sua linguagem se tornará compreensível: as primeiras palavras geralmente aparecem por volta de 1 ano. Se não for “papai” ou “mamãe”, não se decepcione... Seu bebê, antes de mais nada, precisa designar o que ele quer que não esteja ao alcance: se ele não chamar por você é sem dúvida porque você está muito disponível para ele. Muitas vezes ele faz um uso muito amplo de suas primeiras palavras: por exemplo, dizendo “mamá” seu bebê pode querer tanto a mamadeira quanto o peito, pode estar com fome, sede ou vontade de ser abraçado.

A compreensão do bebê progride mais rápido que sua capacidade de se expressar: com 1 ano ele já entende diversas frases simples, como “Venha”, “Dá pra mamãe”, “Você está com fome?”, “Pegue seu brinquedo” etc.

Entre 15 e 18 meses: vontade de aprender

Encantado com sua nova habilidade de falar, seu bebê tem sede de aprender novas palavras: ele aponta objetos em seu entorno para perguntar o nome deles. Responda às perguntas dele e lembre de nomear as coisas para ajudá-lo a aumentar seu vocabulário.

Aos 18 meses ele pode dominar entre 10 e 20 palavras, que ele começa a combinar umas com as outras; por exemplo, “mais leite” ou “papai saiu”. Se ele se pronunciar mal, não corrija o tempo todo: você corre o risco de estragar o entusiasmo dele e a espontaneidade. Em vez disso, diga outra frase após a dele pronunciando corretamente a palavra difícil.

Entre 18 e 24 meses: o vocabulário amplia

Entre 1 ano e meio e 2 anos o vocabulário de seu filho progride exponencialmente: aos 24 meses ele terá um vocabulário de até 300 palavras. Seu pequeno gosta de conversar e às vezes é difícil fazê-lo parar! Ele agora é capaz de formar frases simples, primeiramente com verbo no infinitivo (“Jules come bolo”). Ele também sabe como usar os pronomes “mim”, “eu” e “você”.

Rumo aos 3 anos: posso falar como um adulto

Os elementos essenciais da língua foram adquiridos, mesmo que sua pronúncia ainda não seja perfeita: seu filho pode criar frases complexas, conjugar verbos e usar corretamente os tempos presente, passado e futuro. Ele pode surpreender com expressões que parecem ter saído diretamente da boca de um adulto, que ele repete exatamente como ouviu!

É também a idade do “por quê?” constante: sua curiosidade em relação ao ambiente e seu desejo de aprender novas palavras são insaciáveis. Tente responder da melhor forma possível para estimular seu desenvolvimento intelectual.

Normalmente ir à escola é também uma oportunidade para fazer progressos espetaculares, graças à enorme quantidade de estímulos recebidos dos professores, da equipe pedagógica e também das outras crianças.

Se seu filho parece um pouco atrasado com relação à fala, consulte um pediatra. Muitos fatores podem estar impedindo seu progresso: um problema auditivo ou neurológico, nos órgãos da fala, inibição psicoafetiva etc. Apenas um profissional pode determinar se o seu filho tem algum atraso no desenvolvimento e, caso seja isso, quais são as causas.

Você também vai gostar

Imagem
advice diversification mini
BEBÊ

Cotidiano do bebê

Variando a alimentação do seu bebê

Imagem
advice echange mini
PÓS-PARTO

Comunicando-se com o bebê

As primeiras interações com seu bebê

Imagem
advice massage bebe mini
PÓS-PARTO

Primeiros cuidados com o bebê

Massagem: um momento de ternura com seu bebê