#Rotinas e cuidados com o bebê

Doença mão-pé-boca, quais são os sintomas e como tratar?

#Rotinas e cuidados com o bebê
Doença mão-pé-boca, quais são os sintomas e como tratar?
Doença mão-pé-boca
Doença mão-pé-boca, a virose que ocorre principalmente em crianças de menos de 5 anos, é altamente contagiosa, mas não costuma trazer complicações.

Nada deixa os pais mais aflitos do que ver seus filhos doentes, principalmente quando não existe tratamento específico para a doença e só resta esperar os sintomas passarem. Para acalmar os corações, a doença mão-pé-boca não é séria e nem costuma trazer complicações graves.


Você sabe o que é a doença mão-pé-boca?

A doença mão-pé-boca é causada pelo vírus Coxsackie e é caracterizada pelas pequenas vesículas que aparecem nas mãos, pés e boca. Ela é mais comum em crianças de até 5 anos, mas pessoas de qualquer idade podem contrair, principalmente as imunossuprimidas. Não costuma trazer complicações, mas é extremamente contagiosa e, por isso, espalha-se rapidamente em creches e escolas.

Segundo a especialista Doutora Marjorie Uber Iurk, Dermatologista Pediátrica, apesar de a maioria dos casos serem leves e autolimitados, algumas crianças podem apresentar sintomas intensos, desconforto, dificuldade para se alimentar e ingerir líquidos. “Raríssimos casos podem evoluir com sintomas mais graves neurológicos ou cardíacos”, completou a Dra. Marjorie.


Como é transmitida a doença mão-pé-boca?

A fácil contaminação ocorre devido ao fato das crianças ficarem muito próximas umas às outras, trocarem brinquedos e às vezes compartilharem ambientes fechados. O vírus propaga-se através de:

  • Saliva
  • Secreção nasal
  • Fluido das lesões de pele
  • Fezes
  • Gotículas respiratórias

Quais são os sintomas da doença mão-pé-boca?

Após o período de incubação, que costuma durar entre 3 a 6 dias, podem aparecer sintomas parecidos com os da gripe: febre, perda de apetite, dor de garganta e mal estar geral, além de diarreia e vômitos.

É depois da febre, cerca de 2 a 3 dias, que aparecem os sintomas mais característicos da doença: as erupções na pele.

  • Erupções na boca: parecidas com aftas, essas exulcerações nas gengivas e no fundo da boca podem ser dolorosas e confundidas com inflamação na garganta. Podem causar falta de apetite, recusa aos líquidos e maior salivação do que o normal.
  • Erupções na pele: ao redor da boca, as palmas das mãos e solas dos pés são os lugares mais comuns para as feridas que caracterizam a doença. Também é normal aparecerem na região genital, nádegas, cotovelos e joelhos. Primeiramente não têm textura, são apenas pontos vermelhos que podem coçar. Posteriormente, é comum que as manchas se transformem em vesículas (pequenas bolhas) cuja secreção é contagiosa.
doença mão-pé-boca

 

Como tratar essa virose?

Por se tratar de um vírus, não existe tratamento específico. Geralmente, os médicos optam por tratar os sintomas como febre, dor de garganta e coceira.

Segundo a Dra. Marjorie, é muito importante não utilizar medicações e/ou cosméticos sem indicação médica - pois podem causar piora das lesões de pele ou dos sintomas, e até aumentar a chance de cicatrizes.

Alguns casos requerem maior atenção, consulte um pediatra caso a criança:

  • Não esteja ingerindo líquidos suficientes para manter-se hidratada.
  • Tenha febre por mais de 3 dias.
  • Apresente sintomas graves.
  • Não apresente melhora após 10 dias.

Após a melhora inicial, as erupções cutâneas devem ser tratadas com um creme reparador hidratante, que hidrata, acalma, repara e purifica a pele.


“A hidratação é essencial para que a pele se recupere e esteja saudável, permitindo que o processo de cicatrização seja eficaz e não fiquem marcas.”

Doutora Marjorie Uber Iurk, Dermatologista Pediátrica


Como prevenir?

Por ser uma doença extremamente contagiosa, é importante redobrar os cuidados de higiene ao saber de um caso no seu círculo social. Mesmo que o seu filho não apresente sintomas, alguns cuidados devem ser tomados:

  • Lavar as mãos antes de tocar os olhos, nariz e boca.
  • Lavar as mãos depois de trocar fraldas, dar banho, usar o vaso sanitário, limpar o nariz, tossir ou espirrar.
  • Limpar com frequência superfícies como trocador, banheira, corrimãos e brinquedos.
  • Evitar contato com pessoas infectadas.

Conte com a Mustela para tirar suas dúvidas em nossos canais de atendimento e não deixe de cuidar da saúde do seu filho entrando em contato com especialistas assim que surgirem os primeiros sintomas.