#Desconforto e irritações

Acne neonatal: o que é e como cuidar

#Desconforto e irritações
Acne neonatal: o que é e como cuidar
blog-mustela-Acne-Neonatal_1048x964
Você já deve ter visto que alguns bebês apresentam algumas bolinhas no rosto, e isso é muito comum. Pode ser acne neonatal, que acontece entre a terceira e a quarta semana de vida da criança, e pode durar até os seis meses de idade. Até 30% dos recém-nascidos podem apresentar essa condição.

A acne neonatal pode surgir por predisposição genética, por conta dos hormônios maternos liberados durante a gestação e o parto. As bolinhas vermelhas, ou espinhas, são pequenas e numerosas, e são mais recorrentes no dorso nasal, nas bochechas e no lábio superior do bebê, mas também pode se espalhar pelo corpo todo.

É muito importante que mamães e papais não espremam essas espinhas ou pequenos cravinhos que aparecerem, pois podem provocar mais inflamação, dor e deixar a pele do bebê marcada. A acne neonatal não é grave, e tudo pode ser acompanhado por um dermatologista ou pediatra, que irá apresentar os melhores cuidados para essa condição.

A maioria dos médicos recomendam que óleos não sejam utilizados para o tratamento das acnes, porque podem agravar o estado da pele. A pele dos bebês é sensível e delicada, e tudo o que for utilizado precisa ser testado e aprovado dermatologicamente. A qualidade dos produtos precisa ser excelente, e natural, para que não sensibilizem ainda mais a pele dos pequenos e causem irritações.

Existe também a chance de que as acnes possam aparecer nos primeiros 30 dias de vida do bebê. Se for esse o caso, é possível que essa se apresente com mais intensidade que a acne que surge depois do terceiro mês de vida.

Também pode ser que as espinhas apareçam em crianças com aproximadamente oito anos de idade. Neste caso, é importante ir direto ao dermatologista para desvendar as causas, que podem ser hormonais.

 

Mas por que a acne neonatal acontece?

 

blog-mustela-Acne-Neonatal_395x415

 

Esse tipo de acne acontece pelo entupimento dos folículos. O excesso de sebo ou gordura produzidos pelas glândulas sebáceas causa um fechamento dos folículos capilares, que são levados para a superfície da pele, acarretando em pequenos cravos e bolinhas no rosto dos bebês.

Ao perceber esses sinais no rosto do seu filho, é importante levá-lo ao pediatra para obter um diagnóstico específico para esse caso. Se as bolinhas tiverem um pouco de pus, o bebê deve ser examinado completamente para descobrir as causas, incluindo herpes virais. Caso as espinhas continuem aparecendo no rosto dos pequenos, o indicado é buscar a ajuda de um dermatologista para que ele possa receitar medicamentos levem para amenizar o problema.

 

Como tratar esse tipo acne?

A acne neonatal não é grave, então os pais não precisam se preocupar! As acnes somem facilmente após o período de seis meses, muitas vezes de forma espontânea, e não deixam cicatrizes no rosto do neném.

O tratamento para acne infantil é bem diferente da acne neonatal, e é indispensável que os pequenos sejam acompanhados e recebam a indicação certa de tratamento.

O profissional pediatra ou dermatologista é indispensável nesse tratamento, que tem variação de acordo com a idade e a intensidade das espinhas. Manter os cuidados diários ajuda a amenizar as espinhas. São eles:

  • lavar o rosto do bebê uma ou duas vezes ao dia
  • usar sabonete hidratante específico para os bebês
  • secar o rosto cuidadosamente
  • não cutucar ou espremer as áreas machucadas
  • não usar produtos gordurosos ou oleosos nas acnes

 

Quer saber mais? Confere esse vídeo do dermatologista Dr. André Cherubim: