#Pele ressecada ou com tendência atópica

Verdadeiro ou falso: dermatite atópica

#Pele ressecada ou com tendência atópica
Verdadeiro ou falso: dermatite atópica
advice vrai faux slider
Pele com tendência atópica, também chamada de dermatite atópica. Se os sinais desse eczema forem desconfortáveis (vermelhidão, coceira, secura etc.), eles não são raros nem contagiosos para outras crianças e não são irreversíveis.

• Pele atópica, eczema e dermatite: devemos usar tratamentos com plantas medicinais?

Não. Infelizmente, natural não é sinônimo de inofensivo. As plantas podem conter alérgenos que poderiam provocar um surto atópico. A pele com tendência atópica precisa de cuidados especiais. Em caso de dúvidas, é melhor não tentar tratamentos paralelos, ainda mais porque a aplicação diária de emolientes e esteroides tópicos prescritos pelo seu médico para erupções cutâneas continuam sendo tratamentos muito eficientes para prevenir os sintomas e reconstruir e reparar a pele enquanto acalmam a coceira.

• A pele com tendência atópica é uma doença frequente em crianças e recém-nascidos?

Verdadeiro. A pele com tendência atópica afeta uma em cada cinco crianças em média no mundo todo (1). É a doença de pele mais comum entre crianças. Além disso, essa estimativa continua aumentando. Diz-se que, nos países industrializados, o percentual de pessoas com pele com tendência atópica triplicou em 30 anos(2). Então, não se preocupe: Se o seu bebê está nesse meio, não é um caso excepcional ou único.

• Meu filho tem pele com tendência atópica e, por isso, tem um risco maior de contrair staphylococcus aureus ou impetigo.

Falso. É mais um medo do que uma realidade. De fato, ao olhar as lesões com secreção, nós nos perguntamos se existe uma superinfecção. A verdade é que a presença de staphylococcus, independentemente do tipo de pele, é normal. Essas bactérias fazem parte da flora natural da nossa pele. A concentração delas é maior no caso de inflamações, por isso as amostras de pele indicam níveis mais altos nesses casos. Felizmente, a presença delas não necessariamente desencadeia uma infecção. Não é impossível, mas se os surtos atópicos são tratados adequadamente, é raro acontecer. O impetigo não ocorre com mais frequência na pele com tendência atópica.

• A pele com tendência atópica é uma doença alérgica?

Verdadeiro. Isso significa que ocorre devido a uma reação exagerada do sistema imunológico na presença de alérgenos, como ácaros. Ela não ocorre por falta de higiene e não é contagiosa.

• A pele com tendência atópica é hereditária?

Verdadeiro na maioria dos casos. Mais precisamente, cerca de 70% das crianças com peles com tendência atópica têm em sua família uma pessoa que também tem sensibilidade à atopia. Ademais, a probabilidade de uma criança desenvolvê-la aumenta de 40% para 50% quando um dos pais é atópico e de 50% para 80% quando ambos o são(3). E o que acontece se não houver histórico na família? A pele com tendência atópica está relacionada a vários genes. Você pode tê-la e pode ser hereditário, mas qualquer um pode estar sujeito a isso.

• A dermatite atópica é contagiosa?

Falso. Ela é muitas coisas: alergia, ligada a fatores genéticos ou hereditários (às vezes), mas não contagiosa. Mesmo em casos de surtos e inflamações.

• A pele com tendência atópica é uma condição que existirá por toda a vida?

Verdadeiro e falso. Não necessariamente. De todo jeito, não existirá com a mesma intensidade. Se a pele com tendência atópica pode surgir muito cedo (desde os primeiros meses após o nascimento), ela pode diminuir por volta dos cinco ou seis anos, sendo bastante rara em adultos. Pode até desaparecer completamente. Tudo depende da sensibilidade do seu filho. No entanto, graças à aplicação de produtos emolientes específicos para a pele de bebês e crianças e à adoção de alguns simples hábitos em casa ou nas atividades do seu filho, você pode estender os períodos não ativos (confira Tratando a dermatite atópica: ela pode melhorar ou desaparecer?)

• A pele com tendência atópica pode causar outras alergias?

Falso. Seu filho pode ter outras alergias, mas apenas porque tem sensibilidade à atopia. O eczema é uma manifestação. Outras alergias que a sensibilidade pode causar são asma, rinite alérgica, conjuntivite ou intolerância alimentar. Em todos esses casos, o motivo é o mesmo: o sistema imunológico, muito sensível, reage exageradamente na presença de alérgenos, como poeira, pólen ou ácaros (confira A influência das estações do ano). Seu filho pode ter várias alergias, mas o sistema imunológico é o culpado, e não a pele com tendência atópica.

• Existem alguns hábitos que favorecem períodos de melhora e reduzem o prurido e as reações atópicas?

Verdadeiro, e eles são muitos. Começando pelos produtos emolientes específicos para a pele de bebês e crianças, as precauções diárias, como usar roupas de algodão, ventilar a casa, evitar que seu filho sue e assim por diante. São medidas geralmente simples que podem prolongar os períodos de melhora e oferecer ao bebê uma melhor qualidade de vida, mesmo que não impeçam totalmente os surtos.

• Sensibilidade da pele, pele com tendência atópica etc. Preciso dar banho no meu filho com maior frequência?

Verdadeiro. Uma rotina excessiva de higiene pode favorecer algumas alergias. Por quê? Quando o corpo de seu filho está menos exposto a micróbios, seu sistema imunológico reage exageradamente quando em contato com eles. Isso também vale para bebês atópicos que devem evitar o contato com alérgenos? Sim, porque o sistema imunológico precisa ser estimulado por infecções desde a infância. Isso contribui para o seu equilíbrio. É muito bom eliminar poeira e ácaros para prevenir a pele com tendência atópica, mas sua eliminação completa não é a solução. Desse modo, há mais crianças afetadas por pele com tendência atópica nos países industrializados onde as rotinas de higiene podem ser excessivas.

 

Escrito em parceria com a Dra. Clarence De BELILOVSKY, dermatologista; membro do círculo de especialistas Mustela.

1 Fontes: Watson 2011, Isaac 1998. 2 Fonte: http://www.fondation-dermatite-atopique.org/fr/leczema-atopique/definition-de-leczema-atopique 3 Fontes: Böhme 2003, Taïb 2008.