#Saúde e Bem-estar

Pernas pesadas na gravidez? Veja como aliviar o desconforto

#Saúde e Bem-estar
Pernas pesadas na gravidez? Veja como aliviar o desconforto
advice jambe lourde slider
A síndrome das pernas pesadas tende a ser mais pronunciada no final da gravidez. Isso faz sentido, e há uma explicação e um tratamento, tanto para se sentir confortável novamente quanto para tonificar suas veias. Então, sem mais delongas, aqui está o seu regime de pernas leves!

Por que suas pernas ficam tão pesadas?

Uma em cada duas mulheres é afetada pela síndrome das pernas pesadas. Isso não é surpresa, uma vez que as variações hormonais (da puberdade aos contraceptivos orais inadequados até a menopausa) são amplamente responsáveis. Ainda assim, essa sensação de cansaço, peso e às vezes dor ocorre com mais frequência durante a gravidez.

É mecânico: o objetivo das veias é levar o sangue de volta ao coração. Nas pernas, esse retorno venoso depende da pressão arterial (ativada por contrações musculares) e do tom das paredes das veias, ao longo das quais há válvulas que supostamente impedem que o sangue flua de volta para baixo. Quando essas válvulas ficam enfraquecidas por diversas razões, em vez de voltarem a subir, o sangue se acumula e causa uma sensação de peso: essa é a síndrome das pernas pesadas, um dos primeiros sinais de insuficiência venosa.

Ela está intimamente relacionada à gravidez: A partir do 1º trimestre da gravidez, o influxo de progesterona reduz o tônus nas paredes das veias enquanto os estrogênios promovem edemas. Ao longo dos meses, o aumento no tamanho do útero aumenta a pressão na veia principal responsável por devolver o sangue ao coração. E, no fim da gestação, quando a pressão arterial é 2 ou 3 vezes maior, as veias se distendem e as válvulas se abrem, não mais impedindo esse fluxo de retorno. Todos esses fatores tornam a gravidez um período particularmente propenso a pernas pesadas.

Quando você deve prestar atenção especial?

No 3º trimestre, pouquíssimas futuras mães são poupadas das pernas pesadas! No entanto, a síndrome varia muito de uma mulher para outra. Em alguns casos, é melhor prestar muita atenção para evitar que a insuficiência venosa resulte em veias varicosas.

Se você tem um histórico familiar: Quando ambos os seus pais sofreram de insuficiência venosa, há 70% de chances de que você também sofra; o risco é de 43% se apenas um dos seus pais for afetado. Mas mesmo sem um histórico familiar, torna-se ainda mais importante permanecer vigilante com a idade: a qualidade e a quantidade de colágeno e elastina nas paredes das veias diminuem, assim como o número de células musculares que participam das batidas que empurram o sangue para cima.

Se essa não é sua primeira gravidez: O risco de insuficiência venosa aumenta com o número de gravidezes, aumentando de 23% com uma terceira gravidez para 31% com uma quarta. Se você está com sobrepeso e sedentarismo: Mais peso significa veias mais dilatadas, o que torna as válvulas ineficazes. E quanto mais quilos você ganha, fica mais difícil se exercitar - o que a torna menos propensa a fazê-lo. No entanto, um estilo de vida sedentário contribui para a síndrome das pernas pesadas. É por isso que é importante limitar o ganho de peso antes e durante a gravidez.

Se você ainda estiver trabalhando: Às vezes, a licença-maternidade começa no final da gravidez. Qualquer trabalho que exija que você permaneça em pé por várias horas (lojista, enfermeira etc.) ou permaneça sedentário (trabalhos de escritório em geral) a coloca em maior risco de sofrer de pernas pesadas.

Que novos hábitos você deve adotar? Nunca é tarde demais para fazer boas resoluções e ajudar a aliviar pernas pesadas. Afinal, mesmo que os problemas melhorem sozinhos após o parto, não fazer nada para neutralizá-los pode enfraquecer as paredes das veias.

Caminhe: Suas pernas são feitas para isso, e caminhar meia hora por dia fortalece as paredes venosas, ativando o retorno venoso através de pequenas válvulas na base dos pés que bombeiam sangue para cima a cada passo que você dá.

Use roupas mais largas: Nunca use sapatos com tiras que cortam o peito do pé, que é um ponto-chave no retorno venoso.

Evite sapatos baixos que puxem a panturrilha e impeçam que o músculo se contraia ativamente, bloqueando o retorno venoso. Não use botas ou roupas excessivamente apertadas nem salto alto. Priorize o conforto acima de tudo!

Controle a sua dieta: O objetivo é evitar o ganho excessivo de peso e combater a constipação e a retenção de líquidos. Priorize as fibras e vitaminas encontradas em frutas e legumes e mantenha-se hidratada para eliminar as toxinas. Acima de tudo, não beba álcool, que tem um efeito dilatador.

Evite o calor: Não fique exposta ao sol por muito tempo, evite expor seus pés a muito calor e não use cera quente nas pernas; o calor dilata as veias.

Não cruze suas pernas: Seja em casa ou no escritório, levante-se com frequência para esticar as pernas. Também é importante separar alguns minutos para rolar uma bola sob os pés descalços para estimular os músculos e, assim, o retorno venoso... e se forçar a parar de cruzar as pernas, o que é um hábito muito prejudicial. Levante a cama: Os pés no fim da cama devem ser levantados cerca de 10 cm; não o colchão, senão você terá dores nas costas ao acordar. Outra maneira eficaz de promover o retorno venoso é colocar os pés contra a parede por 5 a 10 minutos duas vezes por dia. Seu regime diário de cuidados com as pernas: Simples, agradável e eficaz. Esses são os denominadores comuns para esses rituais. Seria uma pena perdê-los!

Banhos frios: A partir de agora, é melhor deixar banhos longos de lado ou, pelo menos, limitar a temperatura a 34°C e tomá-los no fim do dia para evitar começar o dia com veias dilatadas. Sempre termine com um pouco de água fria, molhando dos tornozelos até a parte superior das coxas, para estimular o retorno venoso.

Cremes para pernas pesadas são essenciais. Feitos a partir de plantas drenantes e tonificantes como ruscus, gingko biloba e videira vermelha, juntamente com extratos refrescantes, como o mentol, para transportar esses ingredientes ativos pela barreira da pele, eles aliviam imediatamente as sensações de peso. Alguns até melhoram o tônus nas pernas ao ativar a circulação e a produção de fibras de suporte. Para melhores resultados, aplique-os sempre com uma massagem suave, subindo dos tornozelos até a virilha. Nunca comece de cima para baixo.

Suporte: A eficácia das meias-calças e meias de apoio no retorno venoso já foi comprovada há muito tempo. As chamadas meias de conforto são apropriadas apenas para sintomas leves e não são reembolsadas pelos serviços de saúde. Para uma grande sensação de peso, os produtos de suporte de classe 1 e 2 são vendidos em farmácias mediante prescrição médica.

Ginástica vascular ativa: Ela estimula os músculos posturais, que estão próximos aos ossos e, portanto, mais envolvidos no tônus das veias. Por exemplo: sente-se e junte os joelhos com força enquanto os empurra para fora com as mãos; mantenha essa pose por 20 segundos e repita 10 vezes.

Quais são as melhores técnicas médicas? Se as suas pernas continuarem pesadas e se tornarem dolorosas apesar dos bons hábitos e da assistência domiciliar, consulte um médico. Tônicos de veias prescritos por médicos podem ajudar, assim como técnicas para estimular o retorno venoso.

Pressoterapia: Esse tratamento consiste em colocar a perna em uma capa que pressiona mais os tornozelos do que as coxas para estimular o retorno venoso. Essa técnica, que às vezes pode ser reembolsada mediante prescrição médica, não tem nada a ver com as botas infláveis de salões de beleza.

Drenagem linfática: Essa massagem manual, que alterna diferentes níveis de pressão e deve sempre ser realizada por um fisioterapeuta, é projetada para acabar com os edemas e reiniciar o retorno linfático. Ela é reembolsada pelo seguro de saúde em determinadas condições.