Parto: o que o pai precisa saber

Isso pode ser tão extraordinário para você quanto para a sua esposa. Confira nossas dicas para apoiar da melhor forma a futura mãe.

A preparação antes do nascimento

• À medida que o fim da gravidez se aproxima, lembre-se de ter um planejamento no trabalho para que possa encontrar sua esposa assim que ela te avisar.

• Pense antes sobre como você vai chegar à maternidade. Se você morar perto, pode caminhar até lá. A caminhada pode muitas vezes ajudar no trabalho de parto. Caso contrário, o carro é a solução mais fácil. Certifique-se de saber onde vai estacionar. Caso não tenha um carro, você também pode pegar um táxi.

• Quando chegar o dia, fique em casa com ela durante os primeiros estágios do trabalho de parto. E confie nela para decidir quando irão à maternidade. De forma geral, as mulheres são aconselhadas a esperar até que as contrações cheguem a intervalos de 10 minutos antes de irem à maternidade.

• Quando forem para a maternidade lembre-se de levar a mala da sua esposa, assim como a mala do bebê.

 

Estar presente ou não estar?

• Atualmente, a maioria dos pais está presente quando seus filhos nascem. No entanto, isso não significa que você tenha de estar lá. Se você não se sentir capaz de estar presente, converse antes com sua esposa seja sincero com ela sobre seus medos.

• Então, poderão tomar juntos a melhor decisão para ambos.

• E às vezes as mães não querem dar à luz com o pai presente. Eles têm medo de assustá-los, ou acham que conseguirão se concentrar melhor sem eles. Se a sua esposa se enquadra nessa categoria, respeite o pedido dela e, ao mesmo tempo, informe o que você prefere: se você realmente quiser estar presente ela pode se sentir comovida ou reconfortada. E talvez ela acabe deixando você ir.

• Para partos cesariana, muitas maternidades podem pedir ao pai para sair da sala de parto. Mas fique por perto: assim que seu bebê nascer você poderá aquecê-lo e tranquilizá-lo enquanto ele vive seu primeiro contato com o mundo exterior. Fique sem camisa para que ele possa sentir o calor da sua pele, não há nada melhor que isso.

 

O que você precisa saber antes do grande dia

• A duração do trabalho de parto varia muito e pode durar 2 horas ou mais de 24 horas. Independe do plano, o parto pode não acontecer dentro do prazo esperado. Seja flexível e compreensivo se as coisas não saírem conforme o planejado.

• Deixe que sua esposa decida se deve ou não ter uma peridural. Mesmo que você não queira vê-la sofrer, ela pode querer vivenciar o parto com toda a sua intensidade. • As dores do parto acompanham as contrações: o nível de dor começa aos poucos a cada contração. A dor aumenta, atinge o pico e depois diminui. No intervalo entre as contrações a dor desaparece. Nesses momentos sua esposa poderá recuperar o fôlego e a energia. À medida que o trabalho de parto progride, as contrações ficam mais intensas e menos espaçadas. Incentive sua esposa caso ela queira chorar ou expressar a dor. Isso pode ajudá-la a suportar a dor.

• Você pode se surpreender com a atitude dela durante o trabalho de parto. O jeito dela e o modo como ela se expressa pode ser completamente diferente do normal. Faça o seu melhor para tranquilizá-la, mas sem banalizar o que ela sente: reconheça que o que ela está fazendo é difícil e incentive a manter um vínculo mental com seu bebê durante o trabalho de parto. Seu bebê está realizando um feito extraordinário ao mesmo tempo!

• Além disso, saia da sala de parto de tempos em tempos, se precisar: procure se alimentar e conversar com a família ou amigos. Apoiando durante o trabalho de parto • Você deve se perguntar sobre seu papel durante o parto. Lembre-se que o fato de estar lá é um enorme apoio.

 

Não tente fazer mais do que é capaz: você não é enfermeira obstetra ou terapeuta. Mas se sua mulher assim quiser, há diversas formas de ajudar:

• Você pode ajudá-la a ficar na posição correta durante as contrações. Pressionar fortemente com as mãos as costas ou colocar toalhas embebidas em água bem quente no mesmo local pode também ajudá-la a suportar a dor.

• Você também pode observar o ritmo das contrações (usando o monitor se estiver conectado) e avisá-la quando outra contração estiver prestes a chegar. Ou, no pico de uma contração, você pode dizer a ela que a dor está prestes a diminuir.

• Você também pode ajudá-la a recuperar a energia entre as contrações com um carinho, um afago ou uma massagem. Isso ajudará a eliminar qualquer tensão restante.

• Certifique-se também de criar uma atmosfera de confiança e evite transmitir a ela qualquer ansiedade que possa ter: ela conseguirá ouvir a si mesma se for acolhida por você.

• Caso ela tenha decidido ter uma peridural e não estiver com dor, você ainda terá um papel importante: às vezes, quando a dor diminui, as mulheres podem começar a sentir ansiedade no parto. Ela precisa que você ouça e apoie.

• Se ela não pedir nada durante o trabalho de parto, deixe-a em paz e não incomode com muitas sugestões, ainda que tenha boas intenções: as mulheres precisam de muita concentração durante o trabalho de parto e não devem se distrair.

• Quando o bebê estiver prestes a nascer, apoie e incentive sua esposa enquanto ela faz força. E quando o bebê nascer você pode pegá-lo e colocá-lo sobre a mãe. Se quiser, você pode até cortar o cordão umbilical. Lembre-se de pedir às enfermeiras obstetras durante o trabalho de parto. E não segure sua emoção: ela ajuda a formar os primeiros laços entre você e seu filho.

• Após o parto, acompanhe sua esposa nos primeiros exames pediátricos do seu bebê. E se possível, leve-o você mesmo: Depois dos braços da mãe seus braços são os mais seguros para ele, mesmo que você se sinta desajeitado.

Você também vai gostar

Imagem
advice grossesse papa mini
GRAVIDEZ

As emoções dos primeiros meses

Gravidez: o que o pai precisa saber

Imagem
advice devenir papa mini
PÓS-PARTO

Comunicando-se com o bebê

Dicas para pai de primeira viagem