Você sabe a diferença entre cosméticos e dermocosméticos?Agosto 2018

Com tanta variedade de produtos para cuidados com a pele disponíveis no mercado, fica difícil saber se o que você tem em casa é um cosmético ou dermocosmético. Se você nunca ouviu falar neste termo, está na hora de saber exatamente o que anda usando para cuidar da sua pele e do seu bebê e deixá-la macia, hidratada e, especialmente, mais saudável e protegida de agentes externos.

 

O que são dermocosméticos?

 

Na definição da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, os dermocosméticos são produtos que trazem em sua composição ativos farmacológico, compostos com atividade terapêutica, que se aproximam de medicamentos dermatológicos de uso tópico. Ou seja, são produtos que vão além da epiderme, com ativos que atingem as camadas mais profundas da pele e que trazem melhores resultados, agindo de dentro para fora. Enquanto os dermocosméticos geram alterações fisiológicas, causando mudanças na pele, os cosméticos tradicionais funcionam com ação instantânea. Eles melhoram a aparência momentânea, mas não atuam nas reais causas destes problemas.

 

 

Benefícios dos dermocosméticos

 

Na prática, estes produtos são categorizados como cosméticos, mas desenvolvidos com base em pesquisas científicas que garantem sua eficácia e segurança de uso. São itens com princípios ativos clinicamente comprovados, com formulações concebidas a partir de ingredientes funcionais que cuidam e resguardam a pele desde a primeira utilização.

 

Os dermocosméticos possuem função preventiva que vai além da beleza exterior: eles atuam nas causas dos problemas de pele, reduzindo e até mesmo eliminando estas disfunções. Mas sem a pretensão de tratar doenças.

 

 

Dermo-Bebês

 

Os dermocosméticos apresentam, ainda, subcategorias, como os Dermo-Bebês. É neste segmento que se enquadram, por exemplo, os produtos da Mustela®. No caso da marca, os itens possuem formulações especiais para cuidar, tratar e preservar a delicada pele do bebê. Ao contrário de outros produtos cosméticos existentes no mercado atual, um Dermo-Bebê possui alta tolerância cutânea e ocular, que minimiza riscos de reações alérgicas e irritações.

 

São produtos que passam por rigorosos testes de qualidade e eficácia antes de chegar às prateleiras e, por isso, oferecem segurança desde a primeira utilização. Não possuem conservantes, corantes, álcool, parabenos, ftalatos, fenoxietanol, entre outros ingredientes questionáveis. Para os bebês e crianças, isto é de suma importância, já que um Dermo-Bebê pode ser usado desde o nascimento, sempre respeitando a fragilidade da pele dos pequenos e preservando sua barreira natural, diferente de um cosmético, que não precisam de comprovação cientifica, por exemplo.

 

 

Dermocosmético ou cosmético: qual escolher?

 

Ao escolher um dermocosmético, o consumidor está levando para casa um produto que foi formulado levando em consideração as especificidades de cada pele – seja dos bebês, gestantes ou recém-mães. Sem contar que os resultados de um dermocosmético vão além do efeito imediato, oferecendo ação prolongada que preserva a saúde da pele por muito mais tempo.

Isso graças ao embasamento científico presente na formulação de um dermocosmético: na Mustela®, pesquisas realizadas comprovaram os benefícios de ingredientes naturais como o abacate, girassol, karité e aloe vera em peles delicadas. Estes ativos têm propriedades especiais que cuidam, protegem a pele de bebês e crianças, mantendo seu capital celular hoje e no futuro.

 

Comente este artigo

Partilhar a minha lista de cuidados