Ingredientes questionáveis: quais os riscos? Outubro 2018

Diariamente, a pele do bebê está exposta a diferentes produtos de higiene pessoal: com tantas opções disponíveis no mercado, surgem muitas dúvidas a respeito da composição desses itens. O que é saudável? O que é seguro? O que pode ser evitado? Entender o que os principais aditivos químicos podem causar na pele é o primeiro passo para escolher produtos adequados e seguros, especialmente quando se fala em gestação e bebês.

 

Prestar bastante atenção aos rótulos destes produtos é importante porque existem alguns ingredientes questionáveis que podem estar presentes em perfumes, shampoos, sabonetes, hidratantes e até nos lenços umedecidos e que são prejudiciais à saúde, como os parabenos, os ftalatos, a metilisotiazolinona e o fenoxietanol, por exemplo. A utilização de ingredientes questionáveis nos itens do dia a dia pode causar desde alergias e coceiras a problemas maiores, que serão notados somente depois de anos de uso.

 

Parabenos

 

Utilizados como conservantes, os parabenos protegem os produtos contra o aparecimento de fungos e bactérias. No entanto, existem estudos que indicam que os parabenos imitam os hormônios do corpo, como o estrogênio. Isso significa que essas substâncias causam desregulação endócrina, podendo elevar a incidência de diversos tipos de câncer, como de mama e próstata, por exemplo. Vale ressaltar: parabenos aparecem em muitos itens como hidratantes, shampoos, protetores solares, perfumes e até na pasta de dente - o que aumenta consideravelmente os riscos já que estes itens são utilizados diariamente.

 

 

Ftalatos

 

Os ftalatos são responsáveis por deixar os cosméticos com o aspecto cremoso e brilhante. Os ftalatos estão associados a problemas reprodutivos, redução da fertilidade masculina e doenças como diabetes gestacional. Um estudo realizado em Harvard descobriu que gestantes com maior concentração de ftalatos na urina tiveram o dobro de risco de ter excesso de peso na gravidez.

 

 

Metilisotiazolinona

 

Muito utilizada em lenços umedecidos, a metilisotiazolinona é um conservante bastante comum na indústria de cosméticos. Seu uso é prejudicial e pode causar alergias que, por sua vez, são difíceis de ser identificadas por parecerem com outros problemas de pele, como a dermatite, por exemplo. Em 2014, um estudo conduzido pela Conecticut School of Medicine, relacionou o uso excessivo de lenços umedecidos a uma série de casos de alergia. Para se ter uma ideia do “poder” da metilisotiazolinona, ela é utilizada também em detergentes, tintas e vernizes.

 

 

Fenoxietanol

 

Outro produto químico muito utilizado nos lenços umedecidos e em outros produtos de higiene é o fenoxietanol, que, assim como a metilisotiazolinona, pode causar alergias e irritações cutâneas. Além disso, esse ingrediente é considerado cancerígeno e pode irritar as vias respiratórias dos bebês.

 

 

Segurança e eficácia

 

Não são apenas os parabenos, os ftalatos, a metilisotiazolinona e o fenoxietanol que aparecem entre os ingredientes questionáveis que podem estar presentes em itens de higiene pessoal e cosméticos. Bisfenóis, cafeína, álcool, cloridrato de alumínio e triclosan são outros aditivos que merecem atenção, já que podem causar danos à saúde dos bebês e das gestantes.

 

A natureza possui diversos elementos para o cuidado da pele delicada, por isso, no mercado é possível encontrar opções que são mais seguras e eficazes. Ingredientes à base de plantas, como abacate ou girassol, garantem a segurança da mamãe e do bebê. Na Mustela®, por exemplo, os ativos de origem natural são priorizados a fim de evitar ao máximo a utilização de aditivos químicos, excluindo a utilização destes e outros ingredientes questionáveis.

 

Comente este artigo

Partilhar a minha lista de cuidados